26
mar
11

Café Caipira abre 2011 com Orquestra Municipal de Violeiros de Americana

O projeto “Café Caipira”, da Secretaria de Cultura e Turismo, abre 2011 com um concerto de musica raiz com clássicos do gênero apresentado pela Orquestra Municipal de Violeiros de Americana e pelo músico Sandro Livahck, neste domingo, (27/3), a partir das 9h, na Casa de Cultura Hermann Muller Carioba. A entrada é franca.

“Durante as comemorações dos 100 anos do Casarão, em 2009, promovemos um café caipira com uma mesa cheia de atrativos como bolo de milho, cural, entre outros. O projeto deu certo e acabamos tornando-o mensal. Fruto do Café Caipira é a formação de nossa Orquestra de Violeiros”, disse o Secretário de Cultura e Turismo, José Vicente de Nardo. “É uma alegria ver nossa Casa de Cultura receber tanta gente para ouvir música raíz, passear, visitar o local e ver as exposições. A música caipira ganhou um espaço nesta administração”, afirmou o secretário, que aceita convites para a participação dos violeiros em eventos e festas da cidade e Região. “O Café é um espaço para famílias, amigos, casais, com o objetivo de resgatar nossa cultura caipira”, disse o diretor de Cultura da Sectur, Melquesedec Ferreira.

O regente da Orquestra de Violeiro de Americana, Bruno Paparoti, está com a corporação desde sua fundação, em junho de 2010. Atualmente participam da Orquestra 25 músicos. Para domingo, Paparoti preparou um programa com clássicos sertanejos como Chico Mineiro, Cabocla Tereza, Franguinho na Panela, Menino da Porteira e Meu Reino Encantado. “A orquestra tem por objetivo resgatar a música sertaneja raiz, valorizar a viola caipira, cantar os grandes clássicos sertanejos e levar o nome da cidade por onde se apresentar”, definiu. “Uma marca da orquestra de Americana é que a viola é ponteada juntamente com o som do berrante que é algo extraordinário”, ilustrou.

“Foi muito importante Americana formar a orquestra de violeiros, pois além de divulgar o nome da cidade, ela pode ficar reconhecida pelo apoio à música sertaneja raiz. Este projeto do secretário José Vicente é fundamental para fomentar e trabalhar nossa cultura de musica raiz”, disse o regente. Os violeiros ensaiam todas quintas, às 19h30, no auditório do CCL e ainda tem vagas para músicos que já saibam tocar viola. Para ingressar na orquestra tem que saber tocar o instrumento. Para quem não sabe e quer aprender a Secretaria de Cultura oferece um curso toda terça-feira no auditório do CCL, às 19h30. As aulas são dadas pelo maestro da Orquestra, Bruno Paparoti.

A apresentação de Sandro terá convidados especiais. Na percussão, Renato leme; no violão e flauta, Douglas Kennen. Vozes de Tavinho Limma, compositor e intérprete, parceiro de Jane Duboc e Tete Espindola; Sandro Dornelles, compositor e intérprete, parceiro de Aldir Blanc e Moacyr Luz; Ritinha de Carvalho, cantora paulista que já trabalhou em espetáculos musicais com Matheus Nachtergaele (Livro de Jó) e Thiago Augusto, compositor e intérprete, filho do compositor Sergio K. Augusto e parceiro de Renato Braz.

Em algumas canções com intervenções poéticas, Sandro terá as participações de Alexandre Enzo, nas percussões e um grupo vocal formado por Pamela Zucolim, Juliana Gobbo, Marcelo Porqueres e Clariana Leite. O repertório do show é baseado nas musicas regionais de viola caipira como: Cabocla Teresa, De Papo pro Ar, Romaria, Comitiva Esperança, Calix Bento e Sinha Maria.

Sandro estudou música no Conservatório Souza Lima, SP, e Dramático e Musical no Carlos de Campos de Tatuí, SP. Musico multinstrumentista, acompanhou a Sinfônica de Americana e os artistas Toninho Horta, Lô Borges, Morais Moreira, entre outros, como contra baixista. Compositor premiado em vários festivais pelo Brasil. Trabalha também como Arte Educador em Americana e Santa Bárbara do O’este com aulas de musicalização.

Ainda como compositor e arranjador criou as trilhas sonoras originais para as peças Aleijadinho (adaptação teatral de Cícero Edno para o livro Aleijadinho, de Marco Catalão), O Pastelão e a Torta (Grupo da Cuia), O Pingo Que Choveu no Molhado (grupo Talento), entre outros. O músico participou dos Arranjos nas peças Missa Leiga de autoria e direção de Chico de Assis e Ópera do Malandro com direção também de Chico de Assis.

Em 2010 o projeto “Café Caipira” teve média de mais de mil pessoas por edição. Em agosto o músico Mazinho Quevedo conseguiu levar mais de 3 mil pessoas para a Casa de Cultura. O “Café Caipira” acontece no último domingo de cada mês na Casa de Cultura Hermann Muller Carioba, com entrada franca, sempre com música caipira e a presença de uma feira de artesanato.

Anúncios


Trailer do doc. “Nós Vamos Continuar Falando de Música”

Movimento “Salve o Casarão!”

Participe!

+ Disco1

Twitter

PARCEIROS E AMIGOS

CONTATO

(19) 3601.7447

(19) 9277.1432
Anúncios