Arquivo para dezembro \15\UTC 2010

15
dez
10

Hoje tem “Nós Vamos Continuar Falando de Música” na TV TodoDia!

Finalmente chegou o dia que a galera que se lamentou porque não pôde ir ao lançamento poderá conferir o documentário.

Após participação do produtor Denis Carvalho nos programas TodoDia Cidades na terça e Elas & Elas hoje mesmo, quarta-feira, para promover o documentário e a parceria com a TV TodoDia, esta noite do dia 15 de dezembro às 20:00 acontece a primeira exibição em uma emissora de TV do material produzido na íntegra.

Amanhã, 16/12, acontece a segunda exibição no mesmo canal e mesmo horário.

A TV TodoDia pode ser sintonizada nos canais 46 e 14 UHF, canal 13 pelo Sistema a Cabo NET e 113 pela NET Digital nas cidades de Americana, Sumaré e Hortolândia.

Assista ao trailer do documentário:

08
dez
10

Teatro Municipal de Americana tem noite de ópera

Por Roberto – Sectur

A Orquestra Sinfônica Municipal de Americana, seis solistas e 25 coralistas da Universidade Adventista de São Paulo, núcleo de Engenheiro Coelho, vão apresentar a ópera “Amahl e a noite misteriosa”, de Gian Carlo Menotti, no Teatro Municipal “Lulu Benencase”, às 20h, nesta quinta-feira, (9/12). A entrada é franca. A realização é da Secretaria de Cultura e Turismo de Americana.

“Amahl e a noite misteriosa” (Amahl and the Night Visitors) é uma das óperas mais populares nos países de fala inglesa. Teve sua estreia em 1951, em Nova Iorque, sendo transmitida ao vivo pela rede de televisão NBC, tornando-se a mais conhecida ópera de Gian Carlo Menotti (1911-2007).

A história é sobre um garoto, de olhar desperto e sonhador. Alegre, sensível, travesso, curioso e até mentiroso, ele é Amahl, o jovem aleijado pastor. Com sua mãe, uma pobre viúva, enfrentam o frio e a fome em um humilde casebre. Mas todo dia Amahl toca em sua flauta a esperança de viver feliz.

Numa misteriosa noite brilhou no céu uma grande estrela e os Três Reis que seguiam rumo a Belém, pararam naquela pequena choupana, pedindo para passar a noite ali. Amahl e sua mãe recebem os Três da melhor maneira que podem, admirados com o esplendor das vestes dos Reis e a riqueza dos presentes que carregavam. Quando a mãe de Amahl percebe que os Três Reis procuram por um recém-nascido e que os dispendiosos presentes são destinados ao bebê, fica decepcionada e com inveja. Ela não entende por que os Reis não podem dar ao menos um daqueles ricos presentes para o seu próprio filho, que é tão pobre e enfermo.

Com a chegada dos Reis, Amahl sai para convidar outros pastores da região, os quais, com grande emoção, trazem seus modestos presentes para os Reis.

Quando tudo silencia e todos vão dormir, a mãe de Amahl fica admirando e desejando os tesouros que são guardados pelo Pagem. A mãe de Amahl tenta roubar um pouco do ouro dos Reis para ajudar seu filho aleijado. Quando ela pega o tesouro, é flagrada pelo Pagem que luta com ela para recuperar o ouro que está em suas mãos. O Pagem grita para os Reis “Ladra! Roubando o ouro eu a peguei.” Amahl acorda e defende sua mãe batendo no Pagem com sua muleta.

Os Reis perdoam a mãe de Amahl por tentar roubar e oferecem para que ela fique com um pouco do ouro. Os Reis preparam-se para prosseguir em sua jornada. O amanhecer se aproxima e os Reis preparam-se para retornar à jornada. Amahl implora para que sua mãe o deixe juntar-se a eles, e então segue com os Reis a Belém para adorar e render graças ao Menino Jesus.

Elenco

Rose de Souza, soprano (Mãe)

É formada em flauta-doce e canto lírico, pelo Conservatório Estadual de Música Lorenzo Fernandez e em Educação Artística com Habilitação em Música – Canto Lírico, pela Universidade Estadual de Montes Claros. Participou de master-classes com grandes professores, como: Ignácio de Nonno, Francisco Campos, Marcos Tadeu, Rio Novello, Neyde Thomas, Jeller Filipe, Martha Herr, Jean Paul Fouchecaurt, João Paes e Illeana Cotrubas. Cantou sob a regência dos maestros Sérgio Magnani, Sergio Igor Chenee, Lan Franco, Ricardo Rocha, Ênio Antunes e João Carlos Martins. Atuou nas óperas Madame Butterfly e La Bohème de Puccini e nos musicais The Phanthon Of The Opera de Lloydd Webber e West Side Story de Bernstein. Em Portugal, estudou com os professores Antônio Salgado (Lied e oratório) e Fernanda Corrêa (ópera). Nas temporadas de 2005/2006 foi solista convidada da Camerata Antunes, com quem realizou vários concertos na capital paulista. Em 2006 solou o Réquiem de Mozart em Fortaleza/CE, e fez uma série de concertos com o grupo Cello Ensemble pelo Estado de São Paulo. Atualmente tem um duo com o violoncelista Raïff Dantas Barreto. Em 2009 interpretou a “viúva” em apresentações do oratório Elias de Mendelssohn junto a Orquestra Sinfônica Municipal de Americana.

Karen Tessaro, sopranino (Amahl)

Nasceu em Campo Grande/MS. Aos sete anos iniciou seus estudos musicais, tendo aulas de piano. Também estudou flauta-doce e participou de corais durante toda a infância e adolescência. A partir de 2004, prosseguiu sues estudos no Instituto Adventista Paranaense, onde cantou em corais e teve aulas de piano com a profª Deise Bergold. Desde 2007 cursa a faculdade de Educação Artística com Habilitação em Música no UNASP Campus Engenheiro Coelho. Tem aulas de piano com o prof. Harley Bleck e canto lírico com a profª Rose de Souza. Também tem se envolvido com diversas atividades musicais, entre elas o Madrigal Vox e o coral UNASP. Em 2009 foi solista do Elias de Mendelssohn na produção UNASP/Orquestra Sinfônica de Americana.

Fabio Siniscarchio, tenor (Rei Gaspar)

Cantor e educador musical, iniciou seus estudos musicais com a organista Roberta Bember. Estudou canto com os professores Clênio Abreu e Regina Mota, Jetro de Oliveira, Suzel Cabral e Benito Maresca. Graduou-se em educação musical pelo UNASP, tendo atuado como solista em diversos concertos com grupos vocais e orquestrais. Estudou piano, flauta transversal, trompete e oboé. Foi integrante do coro de câmara Officina Vocalis. Aprimorou seus estudos em regência e preparação vocal com o maestro Dr. Jetro de Oliveira. Em São Paulo, participou do coro Collegium Musicum, sob a regência do maestro Abel Rocha, e do NUO – Núcleo de Ópera sob a regência do maestro Paulo Maron. Em 2010 foi selecionado para participar de uma oficina lírica de aperfeiçoamento do canto oferecida pelo conservatório de Adria, Itália, com a participação de maestros renomados internacionalmente e da professora Luisa Gianinni.

Valter Contessoto, barítono (Rei Melchior)

Começou seus estudos de canto em Maringá/PR, sua cidade natal com Yaeko Myamoto. Em 1991, mudou-se para Brasilia para continuar seus estudos com o professor Francisco Frias na “Escola de Musica de Brasilia”, participando do “Concurso de Canto Carlos Gomes” no Rio de Janeiro (1992 e 1993) sendo finalista nos dois eventos. Isto proporcionou a possibilidade de continuar seus estudos nos Estados Unidos. Em 1995, como solista da orquestra New England Ensemble, fez uma turnê pela Europa e Oriente Médio cantando em várias catedrais e até em um anfiteatro romano aonde teve o privilégio de cantar para a família da Rainha Noor da Jordânia no “Festival de Música da Jordânia”. No final do mesmo ano, foi contratado pela “Washington Opera Company” para fazer parte do seu elenco de cantores. Das inúmeras óperas em que participou, destaca-se sua participação na Ópera I Pagliacci de Leoncavallo (1997) na qual cantou com Plácido Domingo tendo como diretor artístico o cineasta Franco Zeffirelli (a ópera foi televisionada para todos os Estados Unidos). Em 1999, foi selecionado para cantar o papel do Gran Cerimoniere na primeira apresentação da Ópera Sly de Ferrara, com o tenor José Carreras. Valter Contessoto terminou seus estudos em canto na Universidade Adventista de Washington em Washington D.C. em 1999.

Enoc Soares Oliveira, barítono (Rei Baltazar)

Iniciou sua vida musical em São Paulo cantando em diversos corais sacros. Desde então a música se tornou parte de sua vida; aprimorou seus estudos musicais em canto com a soprano Neide Thomas (SP) e Cláudio Henrique Ávila (RJ). No Rio de Janeiro foi solista do Madrigal Ars Plena, fundado pelo maestro Armando Prazeres. Atualmente faz parte do Coro de Câmara Officina Vocalis da UNASP, Campus Eng. Coelho, sob a regência do Maestro Jetro Meira de Oliveira. Já se apresentou em várias Salas de Concerto, como Museu da República (RJ), Centro Cultural Banco do Brasil (RJ), Sala Cecília Meireles (RJ), Teatro Municipal de São Paulo, Teatro Municipal de Americana (SP) e Teatro Guaíra em Curitiba, entre outras. Participou como solista das obras O Messias de Haendel, Paixão Segundo São João de J. S. Bach, Five Mystical Songs de Ralph Vaughan Williams.

Gabriel Balestreri, barítono (Pagem)

Natural de Brasília, teve seu primeiro contato com a música com 5 anos de idade. Aprofundou seus estudos de música no IABC, Instituto Adventista Brasil Central onde focou na área do piano, violino e canto. Após terminar seus estudos no IABC, foi para o UNASP-EC estudar Educação Artística. Está no 3º ano e é formando do curso. Participa de vários grupos musicais do Unasp como: Coral de Educação Artística, Coral Universitário, Coral Unasp e o Grupo Novo Tom.

Jetro Meira de Oliveira, maestro

Recebeu os títulos de Bacharel em Música (1990) e Mestre em Regência e História da Música (1996) na Andrews University, EUA, e o título de Doutor em Regência e Literatura na University of Illinois, EUA (2002), estudando com os Maestros Fred Stoltzfus e Donald Schleicher, e musicologia sob a orientação do Prof. Dr. John Walter Hill. É professor de regência e história da música (graduação), e de regência na pós-graduação do UNASP. Tem atuado tanto no repertório coral como no orquestral. Em outubro de 2001 foi regente convidado da Music Society of St. Cecilia, Califórnia, EUA, regendo o concerto beneficente para as vítimas do ataque terrorista de 11 de setembro (2001). Na música coral-sinfônica regeu obras como Elias de Mendelssohn, O Messias de Handel, Missa Nelson de Haydn, Berliner Messe de Pärt, Five Mystical Songs de Vaughan Williams, Cantata BWV 191 de Bach, Réquiem de Mozart e Chichester Psalms de Bernstein. Na música orquestral destacam-se interpretações do Concerto para Oboé e Violino de Bach, Concerto para Violão em Ré Maior de Vivaldi, Concerto para Piano No. 17 em Sol Maior, Concerto para Dois Pianos No. 7, em Fá Maior, Sinfonia Concertante e o Concerto para Clarineta e a Sinfonia em Sol menor, No. 40 de Mozart. Em 2008 e 2009 atuou como regente convidado junto a Orquestra Sinfônica Municipal de Americana. É diretor musical e regente do coro de câmara Officina Vocalis e da Camerata UNASP. É membro das distintas sociedades acadêmicas Pi Kappa Lambda (música) e Phi Kappa Phi (estudos interdisciplinares), como também da Associação Paulista de Regentes Corais e da Sociedade Brasileira de Musicologia.

Coro de Pastores

Cantores do Officina Vocalis e Coral Lic. em Música/UNASP

Mestre de coro: Sullivan Dutra

08
dez
10

Conpacel encerra temporada do “Clássicos em Cena” de 2010 com concerto inédito

Na próxima quarta-feira, dia 8 de dezembro, às 19 horas, a população de Americana poderá prestigiar um concerto especial que reunirá, pela primeira vez no Brasil, o Coro de Câmara Mackenzie e o grupo Metallumfonia. A apresentação acontecerá no Auditório da Escola Municipal de Música do CCL, com entrada gratuita, e marcará o encerramento da temporada de 2010 do projeto “Clássicos em Cena” oferecido pelo Conpacel – Consórcio Paulista de Papel e Celulose.

Corpo estável do Instituto Mackenzie, de São Paulo, o Coro de Câmara Mackenzie é um grupo de canto erudito formado por 30 cantores, todos músicos profissionais, professores e especialistas em canto.

O grupo é dirigido e regido pelo conceituado maestro Parcival Módolo, cujo extenso currículo inclui aulas e regências em diversas orquestras no Brasil e no mundo e mestrado em música barroca por Westfälische Landeskirchenmusikschule, na Alemanha.

Já o Metallumfonia é um respeitado conjunto de Campinas, interior de São Paulo, formado exclusivamente por instrumentos de sopros – os chamados “metais”.

Trata-se de um dos mais renomados grupos do gênero do País, pois reúne músicos do primeiro time da música nacional: todos tocam em orquestras importantes, como a Orquestra Sinfônica Municipal de Campinas, Orquestra Sinfônica da Unicamp e Banda Sinfônica da Escola Preparatória de Cadetes de Campinas.

Eclético, o programa vai reunir obras, autores, nacionalidade, estilos e épocas diferentes: de “In Silence We Wait”, de Lloyd Lardson, a “Domine”, de Monteverdi, passando por “Cantos Nordestinos”, de Gagliardi – incluindo uma parte “nataliana”, com o coro final da peça “História do Natal”, de Schuetz, e o coral do “Oratório de Natal”, de Bach.

Conheça o programa do concerto:

Peças executadas somente pelo Coro de Câmara Mackenzie:

UCRANIA / FLAVIO – Canto dos Sinos

LLOYD LARDSON – In Silence We Wait

Peças executadas em conjunto, pelo Coro de Câmara Mackienzie e pelo grupo Metallumfonia:

MONTEVERDI – Domine

PURCELL – O Sing unto the Lord

SCHUETZ – História do Natal – coro final

BACH – Coral do Oratório de Natal

GAGLIARDI – Cantos Nordestinos

O “Clássicos em Cena” é uma iniciativa da produtora cultural Direção Cultura, patrocinada pelo Conpacel, com apoio do Ministério da Cultura. O objetivo do projeto é aproximar o público da cultura erudita por meio de apresentações gratuitas de música instrumental e vocal.

Para promover a interatividade com a plateia, todos os concertos têm comentários de Parcival Módolo, maestro radicado em Americana e um dos mais conceituados do circuito, que contextualiza, de maneira acessível, as obras e seus autores.

Agenda:

· Data: 8 de dezembro (quarta-feira), às 19 horas

· Local: Auditório da Escola Municipal de Música “Heitor Villa-Lobos”

· Endereço: Av. Brasil, 1293, CCL, Jd. São Paulo – Americana

· Entrada franca

· Censura livre



06
dez
10

Cine Clube Estação fará debate após exibição de “O Céu de Suely”

“O Céu de Suely” é o segundo longa-metragem do cineasta Karim Aïnouz, que dirigiu o premiado “Madame Satã” e foi co-roteirista dos filmes “Abril Despedaçado” (Walter Salles, 2001), “Cidade Baixa” (Sérgio Machado, 2004) e “Cinema, Aspirinas e Urubus” (Marcelo Gomes, 2004). O filme que marca a estréia de Hermila Guedes como protagonista é atração desta terça-feira, (7/12), às 20h, no Cine Clube Estação, no Estação Cultura. A entrada é franca. O apoio é da Secretaria de Cultura e Turismo de Americana.

Dois anos atrás, Hermila partiu (a personagem tem o mesmo nome da atriz) . A experiência em São Paulo foi boa, mas a cidade era cara demais. Agora ela está de volta a Iguatu, no sertão cearense. A casa da avó, Zezita, e da tia, Maria, é acolhedora e confortável. Mas não demora muito e Hermila se dá conta de que precisa ir embora dali outra vez. Inspirada nas conversas com a amiga Georgina, ela adota o nome de Suely e inventa um plano audacioso para levantar dinheiro e conseguir viajar. Após o filme haverá debate com representantes do Conselho Municipal dos Direitos da Mulher.

 

“O Céu de Suely”

Direção: Karim Aïnouz.

Elenco: Hermila Guedes, Maria Menezes, Zezita Matos, João Miguel, Georgina Castro, Claudio Jaborandy, Marcelia Cartaxo, Flavio Bauraqui, Matheus Vieira e Gerkson Carlos.

 

Serviço:

Estação Cultura de Americana, Avenida Antonio Lobo, antiga Estação FEPASA, ao lado do terminal de ônibus, tel (19) 3405-6600.

 




Trailer do doc. “Nós Vamos Continuar Falando de Música”

Movimento “Salve o Casarão!”

Participe!

+ Disco1

Twitter

PARCEIROS E AMIGOS

CONTATO

(19) 3601.7447

(19) 9277.1432