Arquivo para novembro \26\UTC 2010

26
nov
10

Esse final de semana tem “Burundanga” no Fábrica das Artes

Abrindo as apresentações dos alunos em 2010, a turma adulta do Curso Livre de Teatro do Fábrica das Artes, comandada pelo professor Marcelo Porqueres, trás para o palco do Fábrica um dos maiores dramaturgos brasileiros da atualidade: Luiz Alberto de Abreu. O Espetáculo Burundanga, será apresentado pelos alunos nos dias 27 e 28 de novembro, sábado 21 horas e domingo 20 horas.

Segundo Porqueres, a peça nasceu a partir de uma pesquisa sobre o Teatro Popular. O Ponto de partida foi a pergunta: O que é teatro popular nos dias de hoje? “A partir das respostas o grupo mergulhou na pesquisa de textos com a temática e se depararam com Burundanga, um texto inteligente, instigante e divertido do dramaturgo Luis Alberto de Abreu. Com a leitura do texto e a identificação da proposta, veio a necessidade da montagem de um trabalho coeso e sem apelações”, disse Marcelo. Essa tentativa de fazer uma comédia em que não se precise sublinhar o que está sendo dito e sim valorizar na interpretação exatamente o que foi escrito pelo autor, foi o fator determinante na escolha do texto para a formatura deste ano da turma adulta.

SINOPSE

João Teitê e Matias Cão se enfiam em uma confusão quando, loucos por comida armam uma verdadeira revolução em um cidade. Muitas risadas em situações engraçadas esperam você nessa comédia de tirar o fôlego.

FICHA TÉCNICA 

Elenco: Analine de Oliveira, Bruno Zepelin, Carlos Aguiar, Clariana Leite, Gustavo Zanetti, Kleber Abreu, Leia Tarley, Michaele Capitani, Miriam Diehl, Nadia Salvarani, Patrícia Assis, Rick Zucatteli, Thiago Icibaci.

Iluminação: JJ Bart

Maquiagem: Letícia Assumção

Figurinos/cenografia: Nadia Salvarani e Michaele Capitani

Arte designer: Denis Carvalho (Disco 1)

Sonoplastia: Marcelo Porqueres

Direção: Marcelo Porqueres

Serviço

Burundanga

27 e 28 de novembro

Sábado 21h e Domingo 20 horas

Livre / 80 minutos

Ingressos: Preço único 5,00

Informações 19 – 3014.1990

Anúncios
25
nov
10

Orquestra de Violeiros de Americana abre show de Renato Teixeira no Café Caipira

Por Roberto – Sectur

A Orquestra de Violeiros de Americana, em sua primeira apresentação pública, abre o show de Renato Teixeira, no projeto da Secretaria de Cultura e turismo, “Café Caipira”, neste domingo, (28/11), a partir das 9h, na Casa de Cultura Hermann Muller Carioba. A entrada é franca. Patrocínio do Conpacel, Consórcio Paulista de Papel e Celulose.

O cantor e compositor paulista Renato Teixeira nasceu em Santos e passou a infância em Ubatuba, onde a música já fazia parte do seu dia a dia. A história de Renato Teixeira teve início no fim dos anos 1960, quando uma fita com uma de suas músicas chegou às mãos de um grande promotor de novos artistas. Walter Silva foi o responsável pela entrada de Renato no Festival da Record de 1967.

Daí em diante, Renato não parou mais. Parcerias foram construídas. Com Almir Sater gravou alguns de seus maiores sucessos, como “Um violeiro toca” e “Tocando em frente”. “A parceria com Almir Sater é um grande momento na minha história. Juntos compomos alguns sucessos que são fundamentais para a sustentação das nossas carreiras”, lembrou o cantor.

Renato destaca ainda a aproximação com a dupla Pena Branca e Xavantinho. “Outra parceria importante foi com a dupla Pena Branca e Xavantinho. Nosso encontro foi em Aparecida do Norte no início dos anos oitenta e, juntos gravamos o disco “Ao Vivo em Tatuí”, que se transformou num marco no gênero. Aprendi muito com esses dois companheiros, verdadeiros representantes da cultura caipira”, afirmou o compositor.

Segundo Renato seu projeto de vida é dar continuidade ao sonho de divulgar e difundir cada vez mais o espírito do caipirismo. “Não pela repetição das velhas formas e sim pelo potencial que esse Universo cultural oferece para que, como sempre, a música brasileira avance em direção ao futuro, coerente com a evolução, naturalmente moderna”, disse o cantor que já se apresentou em Americana no Teatro Municipal e no Teatro Elis Regina.

Ele é autor de conhecidas canções, como “Romaria”, “Dadá Maria” e “Frete”, tema de abertura do seriado “Carga Pesada”, além de “Amanheceu”, entre outros. Em relação a “Romaria”, Renato admite, “foi um grande sucesso que mudou minha carreira e criou um grande espaço para que a música do interior paulista invadisse o mercado”. Em 1990 apresentou o programa Tom Brasileiro na Rede Record, onde além de cantar, apresentava artistas que valorizavam a música nacional. Recentemente, Renato Teixeira compôs a música “Rapaz caipira”, como crítica à atual música sertaneja de consumo, fazendo renascer a expressão música caipira. É um defensor aberto da música de raiz, caipira. Mesma proposta do projeto “Café Caipira” de Americana.

Orquestra de Violeiros de Americana

Nascido em Americana, o regente da Orquestra de Violeiros de Americana, Bruno Paparoti começou a tocar viola ainda criança aos 8 anos de idade influenciado pelo pai e pelo tio que formam a dupla Guaira e Guaiba. Vindo de uma família de músicos logo foi aprendendo os primeiros acordes com o seu pai que foi seu primeiro mestre.

Com 13 anos passou a freqüentar aulas de Viola Caipira e mais tarde Violão. Teve como influência grandes violeiros como Tião Carreiro, Almir Sater, Renato Andrade, Roberto Corrêa, Braz da Viola, João Mulato e Tião do Carro.

Aos 15 anos se apresentou no programa Viola Minha Viola apresentado por Inezita Barrozo no ano de 1998 onde teve a honra de tocar ao lado do Regional do Robertinho do Acordeom. Assim deu início a sua carreira profissional fazendo várias apresentações pela região e atuando como músico de estúdio em CD de vários cantores.

Em Maio de 2003 atuou como músico da dupla Milionário e José Rico como violonista e também tocando Viola. Compôs várias canções sendo uma delas premiada com o primeiro lugar no Troféu Tangará, festival da música sertaneja raiz, realizado na cidade de Campo Bom-RS, a música foi composta em parceria com Flávio Ramos e traz o título de ”A Cidade é meu Sertão”, além de ter outras composições gravadas por cantores sertanejos.

Trabalha com aulas particulares de Viola Caipira e Violão ha 10 anos, além de arranjos em estúdio. Hoje é Maestro da Orquestra de Violeiros de Americana.

A Orquestra de Violeiros de Americana começou a ensaiar em junho de 2010. Os ensaios acontecem às quintas, às 19:30h, no auditório do CCL. Ainda tem vagas para músicos que já saibam tocar viola. Para ingressar na orquestra já tem que saber tocar o instrumento. Para quem não sabe e quer aprender, tem o curso toda terça-feira no auditório do CCL, às 19:30h. As aulas são dadas pelo Maestro da Orquestra, Bruno Paparoti. A Orquestra conta atualmente com 24 músicos.

A orquestra tem por objetivo resgatar a música sertaneja raiz, valorizar a viola caipira, cantar os grandes clássicos sertanejos destcando o estilo, levar o nome da cidade por onde for se apresentar. A orquestra toca domingo clássicos sertanejos como Chico Mineiro, Cabocla Tereza, Franguinho na Panela, Menino da Porteira, Meu Reino Encantado e muito mais.

25
nov
10

Viola em Casa tem noite especial com Inezita Barroso

Por Roberto – Sectur

A Secretaria de Cultura e Turismo apresenta no projeto “Viola em Casa” uma noite especial com uma das cantoras mais premiadas do Brasil, Inezita Barroso. O show, com entrada franca, acontece nesta sexta-feira, (26/11), às 20h30, no Teatro Municipal “Lulu Benencase”.

“Será um final de semana dedicado a música caipira tradicional com Inezita Barroso e musica regional com Renato Teixeira. Estas duas apresentações representam para nós o resgate destas culturas. Esta tem sido uma das metas em nossa gestão. Nos dois shows a população terá acesso gratuito”, enfatizou o secretário de Cultura e Turismo, José Vicente De Nardo. O show de Renato Teixeira será no domingo, (28/11), no “Café Caipira”, na Casa de Cultura Hermann Muller Carioba, a partir das 9h, com abertura da Orquestra de Violeiros de Americana.

Inezita nasceu na Barra Funda, em São Paulo Capital. Começou a cantar e estudar violão aos sete anos, e, aos 11 iniciou seu aprendizado de piano. Desde a infância, tomou gosto pelo universo rural. A carreira profissional deu os primeiros passos no início da década de 50, durante um recital no Teatro Santa Isabel, em Recife.

Com mais de 50 anos de carreira dedicados ao rádio, cinema, teatro e televisão, encontrou tempo também para ministrar diversos cursos e palestras sobre folclore brasileiro. Há 30 anos consecutivos apresenta o programa Viola, Minha Viola – Tv Cultura-SP e é professora de Folclore Brasileiro e História da Música Popular Brasileira em duas Universidades de São Paulo, Unifai, na Vila Mariana e Unicapital, na Mooca.

Uma das cantoras mais premiadas do Brasil, sendo detentora de mais de 200 prêmios e troféus, como por exemplo: Prêmio Sharp de Música (melhor cantora regional) – Grande Prêmio do Júri do Prêmio Movimento de Música (homenagem aos seus 47 anos de carreira) – Prêmio Roquette Pinto (melhor cantora de rádio, da música popular brasileira) – Prêmio Guarani (melhor cantora do disco) – Troféu do I Festival de Folclores Sul-Americano,em Salinas – Uruguai, Título Doutor Honoris Causa.

Como atriz atuou em sete filmes. Ela se apresentou com violão e viola ao lado de orquestras regidas por Hervê Cordovil, Guerra Peixe, Gabriel Migliori, Ciro Pereira, Radamés Gnatalli, Rui Tornezze, entre outros. Na televisão, sua carreira é longa. Começou junto com a inauguração da Tv Record, de São Paulo, sendo a primeira cantora contratada. Protagonizou programas ao vivo na Tv Tupi de São Paulo e em outras emissoras do Brasil, como Tv Rio, Tupi do Rio de Janeiro, Tv Itapuã da Bahia, Tv Jornal do Comércio de Recife, Tv Farroupilha de Porto Alegre, no Pará, Amazonas, Maranhão, Minas Gerais, entre outros.

Já foi enredo de várias escolas de samba de São Paulo, como por exemplo: Oba-Oba de Barueri, Combinados do Sapopemba, Pérola Negra, Iracema Meu Grande Amor e Mocidade de Paulínia, além de desfilar como convidada da Gaviões da Fiel.

Alem de apresentar o programa Viola, Minha Viola que vai ao ar todos os sábados às 21hs e aos domingos às 9h pela Tv Cultura-SP para todo o Brasil, faz shows e palestras. São mais de 80 discos em sua carreira solo, sendo os mais recentes “Sonho de Caboclo”, lançado de 2009. E está para ser lançado o livro “Inezita Barroso”.

O Show

O show terá a presença de sua banda, “A Regional”, formada por quatro músicos que tocarão Viola, Violão, contra-baixo e percussão. “O show é montado com musicas que o povo gosta de ouvir, falando de nosso interior, do cotidiano da roça e divulgando nosso folclore”, disse Inezita. “Algumas delas são clássicos da música sertaneja”, avisou. Exemplos de “Lampião de gás”, “Moda da Pinga”, “Flor do cafezal”, “Boiadeiro errante”, entre outras.

O show fará um panorama dos 50 anos de carreira de Inezita.

22
nov
10

Alunos da Escola Municipal de Música mostram talento na mostra anual

Mais de 100 alunos da Escola Municipal de Musica “Heitor Villa Lobos”, da Secretaria de Cultura e Turismo de Americana vão se apresentar no Teatro Municipal “Lulu Benencase”, na terça-feira, (23/11), às 19h30. É a XIII Mostra Anual de Alunos da Escola de Música. A entrada é franca.

No repertório da mostra compositores como Burt Bacharach, Toquinho, Prokofiev, Pixinguinha, Vivaldi, Paul Jennings e músicas natalinas. Estarão se apresentando grupo de flauta doce e grupo de violões, alunos de técnica vocal, Coro Jovem, Orquestra Sinfônica de alunos, Orquestra de Câmara de alunos, Banda de alunos, Coral infantil de alunos, Coral de clarinetas de alunos, Quarteto de saxofone de alunos e o Corda Coral.

“Os objetivos da mostra são apresentar o trabalho desenvolvido na escola durante o ano letivo e trabalhar o emocional dos alunos para apresentações em público. É o evento de encerramento do ano letivo”, disse o secretário de Cultura e Turismo, José Vicente de Nardo.

A Escola Municipal de Música “Heitor Villa-Lobos”, órgão mantido pela Secretaria de Cultura e Turismo, tem se firmado como importante espaço para a formação musical dos jovens da cidade. A estrutura educacional da Escola Municipal de Música oferece cursos de musicalização infantil e adulta, teoria e percepção musical, prática de canto e de conjunto, bem como aulas de instrumentos: flauta doce, flauta transversal, clarineta, saxofone, tuba, trombone, trompete, trompa, percussão, violino, viola, violoncelo, violão e contrabaixo.

“As conquistas da Escola de Música podem ser observadas nas mostras Internas de alunos realizadas no auditório do CCL e na mostra anual de alunos”, afirmou José Vicente. A Escola Municipal de Música “Heitor Villa-Lobos” foi inaugurada em 2001.

22
nov
10

Amizade é tema de comédia no Cine Clube Estação Americana

Por Roberto – Sectur

A comédia italiana de 2001, “Pergunta-me se sou feliz”, com direção de John Cameron Mitchell, será exibido nesta terça-feira, (23/11), no Cine Clube Estação, no Estação Cultura, às 20h. A entrada é franca. O apoio é da Secretaria de Cultura e Turismo de Americana.

Aldo (Aldo Baglio), Giovanni (Giovanni Storti) e Giacomo (Giacomo Poretti) são três atores, amigos de longa data. Por enquanto eles estão apenas fazendo pontas em produções artísticas. Aldo como um figurante de ópera não confiável: Giacomo como dublador de filmes de baixo orçamento, Giovanni, como um mímico nas lojas de departamento da cidade.

Esta amizade é abalada quando Aldo se apaixona e se afasta. Anos mais tarde, Giovanni e Giacomo recebem a notícia que Aldo está à beira da morte e decidem visitá-lo na Sicília. Mas Giovanni traz sua ex-namorada, o que desagrada Giacomo e mexe com a amizade dos dois.

Serviço:

Local: Estação Cultura, Av Antonio Lobo, ao lado do Terminal Central de Ônibus, tel 3405-6600

19
nov
10

Semana da Consciência Negra está na Cidade Jardim com Tambor Menino, Hip Hop e teatro

A Semana da Consciência Negra, organizada pela Secretaria de Cultura e Turismo e Comissão de Promoção da Igualdade Racial de Americana, continua neste sábado, (20/11), na Cidade Jardim, a partir das 16h, com apresentações do Grupo Tambor Menino, Hip Hop, Dança de Rua, teatro, etc. O evento, gratuito, acontece na Praça Oscar Inácio de Souza, a Praça da Cidade Jardim.

Ontem (sexta), o auditório do Centro de Cultura e Lazer, CCL, ficou lotado com educadores da Rede Municipal de Ensino que assistiram performance do ator Isaias Brugneroto a partir da poesia “Favela África “, de Gato Preto e Solano Trindade e a palestra da socióloga Mara Minassian, que falou sobre “O currículo como representação e a Lei 10.693/03”. Em seguida a socióloga Olga de Moraes Von Sinson debateu “Lugares e os silêncios da memória negra”.

“É de extrema relevância discutir temas como racismo e a importância da contribuição dos negros para construção da nossa história”, disse o Secretário de Cultura e Turismo, José Vicente de Nardo.

No sábado (20/11) a programação começa às 16h e vai até 21h, na Praça Oscar Inácio de Souza, na Cidade Jardim. A população poderá ter acesso aos serviços do “Saúde Agora” e assistir shows do Grupo Tambor Menino, Hip-Hop, Abada Capoeira, dança de rua, performance de Isaias, teatro com Cícero Edno, clube do samba com Adilson do Cavaco e Crioulo Branco. A primeira semana fecha no domingo (21/11), no Clube do Vinil, em Carioba, com show do grupo “Gingabamba”, às 16h.

A Semana da Consciência Negra continua com atrações nos dias 22, 25, 26 e encerra no dia 29 (segunda-feira), com apresentação de Maracatu, do grupo Nação Luzia, na Escola Estadual Wilson de Camargo, no Parque das Nações. Na segunda, dia 22, na Estação Cultura, às 19h30, acontece a palestra “Escravidão, Literatura e História Social no Brasil do século XIX”, com o professor Marcelo Donizete da Silva, do Centro Universitário Claretiano.

O Dia da Consciência Negra é celebrado em 20 de Novembro no Brasil e é dedicado à reflexão sobre a inserção do negro na sociedade brasileira. A semana dentro da qual está esse dia recebe o nome de Semana da Consciência Negra. A data foi escolhida por coincidir com o dia da morte de Zumbi dos Palmares, em 1695. O dia é celebrado desde a década de 1960.

 

19
nov
10

Peça infanto-juvenil homenageia Patativa do Assaré

Por Assessoria Sectur

O Circuito Cultural Paulista, com apoio da Secretaria de Cultura e Turismo de Americana, apresenta a peça infantil “Quixote Caboclo”, da Cia da Tribo, neste sábado, (20/11), às 10h30, no Teatro Municipal “Lulu Benencase”.  A entrada é franca.

A peça é recheada de pequenas histórias baseadas nas canções e cordéis do cearense Patativa do Assaré. Xilogravuras típicas dos livretos nordestinos marcam o cenário. Na trilha sonora maracatu, forró, baião e ciranda. A Cia. da Tribo dedica-se desde 1996 a releituras da cultura popular.

Para Wanderley Piras, ator e diretor da peça, a ideia que o motivou a montar o espetáculo foi levar ao público infantil os poemas de Patativa. “A maior dificuldade foi dar sentido à história com um texto em que cada poema se encaixasse na seqüência dos fatos”, disse Piras que é também autor de “Quixote”.

O espetáculo conta a história de um caboclo que vive sozinho no sertão nordestino, e um dia resolve capturar uma Patativa (espécie de pássaro que deu origem ao pseudônimo do poeta, que é assim chamado por sua poesia ser comparável à beleza do canto dessa ave) para ouvir seu canto. Porém, a falta de liberdade faz com que o pássaro pare de cantar, e, para fazê-lo cantar novamente, o caboclo resolve lhe contar histórias de sua vida.

Na montagem, teatro de bonecos, dança popular e trilha sonora serão algumas das linguagens utilizadas para contar e cantar a vida do caboclo a apresentação utiliza-se das linguagens de teatros de bonecos (mamulengo e sombras), cordel, dança popular e trilha sonora especialmente composta para contar a história de um Quixote.

Criada em 1996 por Milene Perez e Wanderley Piras, a Cia da Tribo mantém em seu trabalho a pesquisa sobre cultura popular e a preocupação de estabelecer – por meio de uma linguagem urbana – um repertório que mostre a fusão de culturas. O primeiro trabalho de pesquisa do grupo foi Zabumba, um musical infanto-juvenil, cuja temática era o Bumba-Meu-Boi, com o qual recebeu diversos prêmios: APCA, Troféu Mambembe e Prêmio Femsa de Teatro Jovem.

 

Serviço:

Teatro Municipal de Americana – Rua Gonçalves Dias, 696, bairro Girassol, tel (19)  3461-3045.

Texto e Direção: Milene Perez e Wanderley Piras.

Elenco: Milene Perez, Wanderley Piras e Eduardo Leite.

Direção Musical: Magda Pucci. Figurino: Milene Perez

Bonecos: Sidnei Caria. Cenário Wanderley Piras e Flávio Camargo. Iluminação Ronaldo Dias. Gênero: Infanto-Juvenil, Indicado para crianças a partir de 4 anos. Duração: 45 minutos.




Trailer do doc. “Nós Vamos Continuar Falando de Música”

Movimento “Salve o Casarão!”

Participe!

+ Disco1

Twitter

PARCEIROS E AMIGOS

CONTATO

(19) 3601.7447

(19) 9277.1432